jazzy-software - O blog

jazzy-software Segunda-feira, 30. Outubro 2023

Atualizada Sexta-feira, 29. Março 2024

android-pc.jpeg

Sobre: Sistemas Operacionais

“Você não será dono de nada e será feliz”. No campo dos computadores e dos dados, a palavra de Klaus Schwab torna-se realidade.

O sistema operacional é o software que dá vida a um computador. Disponibiliza unidades, pastas, arquivos e diversos dispositivos. Ele fornece uma interface gráfica de usuário para que o usuário possa trabalhar com tabelas, imagens ou texto e outras mídias. Sem um sistema operacional, seu dispositivo é apenas uma caixa inútil.

Na empresa e no desktop ou laptop de casa, “sistema operacional” costuma ser sinônimo de “Microsoft Windows”.

Em princípio, a interface gráfica não é tão diferente se você usa Windows, Linux/Unix ou Apple. Basicamente, consiste sempre em um menu a partir do qual os aplicativos são iniciados, uma barra na qual você pode ver os programas abertos e janelas nas quais os aplicativos estão em execução. Mouse e teclado servem como dispositivos de entrada. Todo o resto é hábito.

Microsoft Windows

O mito da garagem a partir da qual Bill Gates construiu o seu império persiste. Na verdade, foram o dinheiro e as conexões de seu pai que tornaram possível sua ascensão. A base para o MS-DOS foi o clone CP/M 86-DOS do desenvolvedor Tim Patterson. Bill Gates comprou o 86-DOS por US$ 75 mil, chamou-o de MS-DOS e o licenciou para mais de 70 empresas em um ano. Sem interface gráfica de usuário, foi adaptado ao desempenho dos computadores desktop da época e logo dominou o mercado.

Mas o hardware desenvolveu-se rapidamente. A Microsoft usou a muleta do MS-DOS para criar uma interface gráfica com janelas que pudesse ser operada com o mouse. Nasceu o Microsoft Windows. No entanto, o mouse e o Windows não foram uma invenção da Microsoft. Eles já existem há muito tempo em estações de trabalho Unix, mas não para o setor de consumo.

A muleta do MS-DOS durou até o Windows ME; foi somente com o XP que a arquitetura NT finalmente se estabeleceu.

Com o Windows 10, o conceito da Microsoft mudou para “Windows as a Service”. Isso significou que o controle sobre o computador do usuário – e também sobre os dados nele contidos – passou em grande parte para a Microsoft. Do ponto de vista da proteção e segurança de dados, esta é uma evolução muito preocupante.

Linux

Linux é uma evolução do sistema operacional UNIX. UNIX é praticamente o avô de todos os sistemas operacionais de computador. A primeira interface gráfica de usuário com janelas e controle de mouse foi desenvolvida para UNIX. Além do Linux, o Mac OS ou OS-X da Apple e os sistemas (gratuitos) BSD são derivados diretos do UNIX.

O Linux sempre foi o sistema operacional de servidor dominante. Existem várias distribuições, algumas das quais são mais ou menos experimentais e concentram-se na utilização dos desenvolvimentos e versões de programas mais recentes, enquanto outras - como o Debian - concentram-se na estabilidade máxima.

Em um sistema Linux, há uma separação estrita entre o sistema operacional e a interface gráfica do usuário. O usuário Linux pode escolher entre uma variedade de “desktops” que determinam a aparência e operação da interface. Os mais conhecidos são Mate, Cinnamon, Gnome e KDE.

msad.jpg

A Microsoft colocou este anúncio em 1999. Provavelmente se referia ao grande número de diferentes distribuições Linux, que diferem em detalhes técnicos, mas não na interface do usuário.

Ao contrário do Windows, você baixa programas para sua distribuição Linux usando o chamado gerenciador de pacotes. Esses pacotes são fornecidos e assinados pelos desenvolvedores de uma distribuição. Isso elimina em grande parte a probabilidade de instalação de malware com um programa.

A instalação em um computador desktop ou laptop não é mais um problema com as distribuições conhecidas; elas são instaladas automaticamente e funcionam como o Windows imediatamente. Eles também oferecem vantagens por meio de seu sistema de atualização, que, diferentemente do Windows, geralmente não requer reinicialização. As atualizações do Linux são executadas ao mesmo tempo e você pode continuar trabalhando sem preocupações, não há tempos de espera após a reinicialização e os erros e falhas de segurança são corrigidos em poucos dias, não há espera até um “dia de patch”.

No entanto, ainda existem problemas com suporte de driver para impressoras, scanners e similares. Embora teclado, mouse e tela não sejam um problema, você deve prestar atenção à existência de drivers Linux ao comprar outros dispositivos. Isso também se aplica à placa gráfica.

OpenBSD, FreeBSD e derivados

Os sistemas BSD são conceitualmente semelhantes ao Linux, mas sua abordagem técnica é mais parecida com o Unix tradicional. Softwares e atualizações são compilados no computador a partir do código-fonte – que é executado automaticamente, permanece completamente oculto ao usuário e não requer intervenção de sua parte.

Porém, é ainda mais importante prestar atenção ao hardware compatível na hora de comprar o computador do que com o Linux. Em troca, você obtém um sistema operacional estável e muito seguro.

O OS X da Apple é um derivado do BSD, mas sem os benefícios do código-fonte aberto. Não diferente, ou talvez até mais, da Microsoft, a Apple também tenta incapacitar e controlar o usuário.

Android

Com o desenvolvimento dos smartphones, o Google começou a desenvolver o Android baseado em Linux como um sistema operacional unificado. Hoje, o Android ocupa o mesmo lugar nos smartphones que o Windows no mercado de PCs. Cerca de 90 por cento dos smartphones são dispositivos Android.

O Android segue o chamado de Klaus Schwab: “Você não possuirá nada e será feliz”. Os usuários do Android geralmente estão conectados à Play Store do Google e, quando recebem atualizações, recebem-nas automaticamente do fabricante do dispositivo. Você não tem acesso de administrador ao seu dispositivo. O fabricante do dispositivo ou o Google o possui.

A situação de atualização é bastante aventureira, especialmente com dispositivos baratos. Dispositivos mais antigos geralmente não recebem mais atualizações e as brechas de segurança estão abertas como portas de celeiro.

Na verdade, já não pode haver questão de protecção de dados. Qualquer pessoa que tenha direitos de administrador em um dispositivo tem acesso aos dados. A maioria dos usuários de smartphones provavelmente não sente dor. Você tem que estar se usa Facebook e WhatsApp.

Conclusão

Qualquer pessoa que valorize a proteção e a segurança dos dados em um PC ou laptop não pode evitar o Linux ou um derivado gratuito do BSD. Na Microsoft e na Apple continua a tendência para a incapacitação e expropriação do utilizador.

Isto também se aplica especialmente às empresas. A maioria das perdas de dados causadas por ransomware se deve ao programa de e-mail Microsoft Outlook, que facilita muito os ataques de phishing. Mas a perda de dados é aceita como um golpe do destino, em vez de banir o Outlook e o Active Directory da Internet.

No setor de smartphones é ainda pior. O Google e os fabricantes de dispositivos têm acesso total aos dispositivos dos seus clientes, e o usuário tem controle limitado sobre eles. A Apple não é diferente com o IOS. Existem poucas alternativas.

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado, mas enviaremos um link de ativação.